O teu filho entrou para a escola e o meu não!

Ana Paes
Seguir
Latest posts by Ana Paes (see all)
Com o início de mais um ano lectivo, assistimos diariamente a diferentes disputas entre pais, ainda que disfarçadas, para ver qual dos filhos consegue entrar primeiro para a escola

Os pais vivem numa angústia tremenda e com o terrível receio de que os seus filhos fiquem para trás e que a vida deles fracasse se a criança permanecer mais um ano sem entrar na escola.

Quantos não são os caso de crianças diagnosticadas com défice de atenção ou até mesmo com hiperactividade? Estarão mesmo as nossas crianças preparadas para entrar na escola com cinco anos? Ou até mesmo com seis?

Ganharão assim tanto em entrar o mais cedo possível para o ensino básico? Eu tenho a certeza que não. Perdem. E muito. Perdem maturidade, que se tornará fundamental para enfrentar essa nova etapa da vida. Perdem brincadeira e criatividade, que lhes permitirá encarar com leveza todas as adversidades que as esperam. Perdem tempo, sobretudo para que as deixem crescer.

Tudo serve de desculpa para os pais, desde o enorme problema de o filho não seguir os amiguinhos, até ao facto de chegarem um ano atrasados. Sério? É mesmo o que mais vos preocupa? Pergunto.

Chegam atrasados onde? Qual é a pressa? E quanto aos amiguinhos, talvez os pais não tenham ainda percebido o quanto é enorme a capacidade de integração e adaptação dos seus filhos. Claro que existem excepções, mas, na sua grande maioria, as crianças livres das angústias e frustrações dos seus próprios pais, conseguem de uma forma muito natural adaptar-se na perfeição a novos amiguinhos e novas situações.

Muitos são os pais que continuam a achar que no pré-escolar nada se aprende, mas talvez esteja na altura de valorizar o trabalho desenvolvido nessa valência, em aspectos tão essenciais para o desenvolvimento da criança como a formação pessoal, emocional e cívica. Muitas são as crianças com grandes lacunas numa ou outra destas áreas. Cada vez mais assistimos a crianças pouco autónomas, com grandes dificuldades de raciocínio lógico e com uma linguagem completamente desadequada à sua idade. Estarão estas crianças preparadas para integrar uma turma de 1º ciclo? Não. Na minha opinião, não mesmo.

Algumas delas irão conseguir superar algumas das dificuldades e transitar para o ano seguinte, mas muitas também o conseguirão com grandes limitações e dificuldades de aprendizagem.

O que será melhor para a própria auto-estima da criança? A frustração de não conseguir acompanhar os seus colegas na escola e caminhar sempre um passo atrás deles (mesmo estando sentado na carteira ao lado) ou ficar mais um ano no pré-escolar?

Tenho para mim que está mais do que na altura de os pais começarem a olhar para as necessidades e os tempos dos seus filhos e muito menos para o seu próprio ego e insatisfação.

As crianças precisam do seu próprio tempo para crescer. Para crescer saudável e harmoniosamente. Sem pressas, sem relógios na cabeça. Sem falsas demagogias ou pressões. As crianças de hoje, mais do que nunca, precisam urgentemente que as deixem simplesmente ser crianças. Com tempo próprio, necessidades próprias e, acima de tudo, personalidades próprias.

O teu filho entrou para a escola e o meu não. Ainda não estava no seu tempo.

Imagem: Public Domain Pictures.net

 

Ana Paes

"Coração maior, gosta das manhãs. Irrita-se com a incompetência, mas dedica a sua vida a acabar com ela. Tira, dos sorrisos das crianças, a força que a faz levar tudo à frente. Correcta, honesta, franca, de sorriso fácil. Quem a conquista, jamais a perderá." - SUSANA DINIZ Ana Paes é educadora de infância e professora de música. Escreve também aqui: Os filhos dos outros

ana-paes has 15 posts and counting.See all posts by ana-paes